O Projeto do novo Portal CCUEC

 

última revisão: 27 de abril de 2017 
Para saber mais sobre o projeto contate-nos através do e-mail portalccuec@unicamp.br 



 

Apresentação

O projeto de Reestruturação do Portal CCUEC iniciou em julho de 2016 e teve suas etapas desenvolvidas ao longo de oito meses, até sua inauguração oficial em 30 de março de 2017. O Portal foi ar no dia 10 de abril de 2017, em definitivo para toda a comunidade universitária .

As etapas mais importantes do projeto foram as fases de definição da equipe, prospecção, visão do negócio, definições de requisitos e arquitetura de informação. A proposta de reestruturação do Portal surgiu durante um treinamento de Coaching em 2016, com a participação de técnicos de diversas áreas. Ao final do treinamento, grupos de trabalho debateram sobre a necessidade na melhoria da comunicação, e o Portal CCUEC surgiu como um produto importante a ser trabalhado. Com o apoio e priorização do projeto pela Superintendência, seguimos então para as fases de prospecção e planejamento.

O Portal de TIC de uma instituição, na sua essência, é um produto de comunicação que disponibiliza informações para um público variado, alcançando desde profissionais de TIC com conhecimento em tecnologias a usuários leigos ou recém chegados na Universidade. Com base neste princípio e como condição essencial para melhorarmos a comunicação de nossos serviços, torna-se imperativo agregar profissionais de comunicação na equipe de projeto e nas atividades diárias de gestão do Portal. A construção de portais é um trabalho multidisciplinar e envolve a participação de profissionais de vários perfis.

Um dos maiores desafios do projeto, por sua complexidade, foi o trabalho de tradução dos conteúdos técnicos para uma linguagem objetiva e assertiva para todos os perfis de usuários na Unicamp. Este trabalho foi iniciado e deve ser uma constante na gestão do Portal, sempre visando sua boa aceitação perante ao público, fortalecendo a instituição como referência dos conteúdos e serviços de TIC na Universidade.

Aliado ao trabalho da linguagem, existe também o esforço para melhorar a comunicação em geral, que busca fomentar ativamente conteúdos sobre projetos, atividades e parcerias que envolvem o CCUEC. Não basta desenvolver e oferecer serviços e produtos de qualidade, eles devem ser acompanhados por um bom trabalho de comunicação. O Portal é o principal veículo!

Nos tópicos que seguem, descreveremos as ideias motivadoras do projeto, os conceitos, suas fases e os requisitos que nortearam todo o desenvolvimento. Destacaremos os principais documentos e registros que apoiaram os trabalhos dos técnicos.

Para o desenvolvimento do projeto seguimos um modelo baseado nas etapas de construção de Websites, que é uma sistemática já empregada em outros trabalhos - recentemente o Portal Unicamp - e agora utilizamos para o Portal CCUEC. A duração de cada etapa e o prazo total variam conforme a complexidade e o escopo de cada projeto, a disponibilidade de recursos técnicos e a quantidade de informações a serem trabalhadas.

Participaram da concepção e desenvolvimento (em ordem alfabética): Alexandre Arroyo, Alexandre Berto Nogueira, Caio Curtolo, Denis Ignácio, Douglas Esteves, Fabrício Freitas, Fernando Gonçalves, Gian Barcellini, Isabelle Mancini, Magali Barcellos, Maura Garcia, Roberto Lauretti e Simone Turati.

Abrangência das atividades: gestão, pesquisa, análise e requisitos, design gráfico, implementação, webwriting, comunicação e implantação.

Centro de Computação da Unicamp, 10 de abril de 2017.

 

Missão do Portal CCUEC

Ser o principal veículo de comunicação dos serviços, projetos e atividades de TIC desenvolvidos e administrados pelo CCUEC, fornecendo os conteúdos e mecanismos de interação necessários para que se estabeleça uma comunicação de qualidade com seus usuários e parceiros.

 

Diretrizes para o Portal CCUEC

Foram definidas algumas diretrizes para nortear o desenvolvimento do projeto e serem utilizadas no trabalho diário de manutenção do Portal.

As diretrizes foram escritas, principalmente, tendo como base as experiências anteriores da equipe em trabalhos de desenvolvimento de Portais. Além disto, serviram também de contribuição os resultados obtidos com as pesquisas de avaliação com os usuários e as pesquisas que a equipe realizou nas universidades do Brasil e exterior. Traçamos linhas mestres a serem seguidas com o objetivo de manter um produto de qualidade para nossos usuários e parceiros. São elas:

  • ter processos de desenvolvimento e atualizações de conteúdo, com atores e fluxos bem definidos;
  • ter perfis técnicos disponíveis para o trabalho de gestão: designer, webwriting, desenvolvedor web, programador, arquiteto de informação, comunicador;
  • disponibilizar conteúdos que atendam perfis variados de usuários;
  • ter conteúdos atualizados, menos técnicos e mais assertivos;
  • ter estruturas de conteúdos para divulgar projetos e atividades relacionadas a produtos/serviços;
  • ter mecanismos de feedback e interação com usuários para fornecer subsídios na avaliação da qualidade do conteúdo, do atendimento e dos serviços;
  • ter projeto gráfico alinhado com as tendências atuais e com bons princípios de usabilidade;
  • ter arquitetura/design de informação que facilite a construção do conhecimento dos usuários na busca por informação;
  • ter foco diferenciado nas interfaces e conteúdos para dispositivos móveis.

 

O papel do Gestor do Portal

O Gestor do Portal (área/equipe) é o responsável em definir e acompanhar os processos de trabalho junto à sua equipe técnica, seguindo as diretrizes propostas para o Portal CCUEC. Faz parte de seu escopo de trabalho: estar sempre atento às novas tendências relacionadas a Portais de informação; avaliar os feedback de usuários recebidos por diversos canais de atendimento; planejar as demandas de serviços, atividades e projetos; exercer papel pró-ativo e estabelecer um canal de comunicação constante com as áreas e atores que fomentam conteúdos de TIC. As principais ações que competem ao Gestor são:

  • elaborar, revisar e publicar conteúdos para as estruturas de informação do Portal que foram gerados pelas áreas técnicas;
  • avaliar constantemente os conteúdos e as estruturas de informação do Portal, gerenciando as mudanças necessárias, sob os princípios da boa comunicação e com o apoio e fomento das áreas técnicas e da direção;
  • prospectar conteúdos relacionados aos projetos, serviços e atividades da corporação e suas parcerias;
  • elaborar campanhas de divulgação sobre mudanças no Portal, novos serviços/produtos, novos mecanismos e mudanças de estruturas/navegação;
  • elaborar pesquisas de satisfação direcionadas aos usuários do Portal, avaliar resultados em conjunto com os gestores e dar retorno à comunidade;
  • auxiliar as áreas técnicas na elaboração de conteúdos antes de suas publicações no Portal;
  • manter sintonia com a área de atendimento ao usuário;
  • avaliar e publicar conteúdos de notícias e comunicados, conforme os processos que foram definidos;
  • receber, filtrar, tratar e/ou direcionar os feedback de críticas e sugestões publicadas através do Portal;
  • manter uma linha editorial dos conteúdos publicados, suas estruturas de informação, bem como nortear os editores sobre padrões e formatos de conteúdo;
  • definir e manter um padrão de interface e usabilidade para todas instâncias do Portal;

 

Etapas macros do projeto

Em linhas gerais, o projeto foi executado com a seguintes etapas:

AVALIAÇÃO: PÚBLICO UNICAMP E PÚBLICO CCUEC

  • pesquisa de satisfação dos usuários
  • questionários com gerentes e técnicos do CCUEC
  • pesquisa de qualidade dos serviços e do atendimento

PESQUISA DE INFORMAÇÃO, MAPA MENTAL E ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO

  • pesquisa de informação e brainstorms
    • pesquisar os núcleos de TI em mais de 50 universidades nacionais e internacionais
    • análisar o comportamento do usuário no Google Analytics
    • avaliar como os conteúdos são formatados e estruturados
    • avaliar a linguagem empregada
    • avaliar os mecanismos/artefatos
    • avaliar a oferta de produtos/serviços
    • entender a governança de TI nas instituições pesquisadas
    • agendar reuniões de brainstorms
    • registrar, compilar e organizar o mapa mental com todo o trabalho de pesquisa e definições registradas nas reuniões
  • aprendizado da equipe
    • entender o funcionamento de um Portal de comunicação
    • assimilar o que é importante desenvolver ou melhorar
    • aprender o conceito e propagar na instituição
    • entender que é preciso reconstruir, mudar conceitos, processos e gestão
  • arquitetura da informação
    • coletar os dados e conteúdos das pesquisas para a construção da arquitetura de informação
    • buscar coesão dos conteúdos
    • agrupar conteúdos por afinidade, ainda sem preocupação com navegação ou disposição no portal
    • elaborar os assuntos principais a serem tratados

REVISÃO DO CATÁLOGO DE SERVIÇOS

  • compreender a necessidade de mudança do Catálogo atual
    • feedback negativos: muitos termos técnicos, dificuldade na localização de determinados assuntos
    • necessário novo formato e mecanismos para que favoreçam a busca
    • agrupamento deve ser sempre revisto em função da atualização de serviços e dos feedback dos usuários
    • design minimalista com mais ícones e menos textos com o objetivo de atender interface mobile
    • inclusão de novos serviços
  • rever o conceito do catálogo de serviços: "quais serviços deve conter?", "como descrevê-los?", "como agrupá-los?"
  • pesquisar novos modelos e formatos
  • adaptar a terminologia adotada traduzindo para a "realidade Unicamp"
  • reduzir os nomes de categorias e serviços
  • reagrupar as categorias e subcategorias
  • incluir novos serviços
  • criar processo de atualização
  • aprovar com gerentes das áreas técnicas

RASCUNHO DO LAYOUT E DESIGN DA INFORMAÇÃO

  • elaborar rascunhos de layout e sugestões de organização dos tipos de conteúdo
  • modelar os tipos de conteúdos
  • relacionar os tipos de conteúdos
  • priorizar os tipos de conteúdos "sobre o CCUEC", "catálogo", "eu quero ...", "comunicados", "status dos serviços"
  • elaborar os formatos de apresentação para todos os tipos de conteúdo

INTERFACES

  • pesquisar exemplos de interfaces
  • registrar diretrizes de interface e usabilidade no mapa mental
  • elaborar interfaces para página principal e páginas internas baseadas nos rascunhos de layout
  • criar padrões de ícones e imagens
  • criar padrões de links
  • criar padrões de referências e nomenclaturas
  • revitalizar o logotipo do CCUEC
  • produzir interface responsiva para dispositivos móveis

ESTUDO E DESENVOLVIMENTO NO DRUPAL 8

  • criar um ambiente de homologação
  • levantar os conteúdos para migração
  • levantar as funcionalidades para migração
  • estudar os recursos: views, blocos, entidades de referência, taxonomia, webform, anti-spam
  • empregar o uso do template do PixtureReloaded
  • criar os tipos de conteúdos
  • criar "views", "blocos", "taxonomia" e "entidades de referência"
  • incorporar as interfaces
  • customizar estilos CSS e templates

ARTEFATOS

  • criar mecanismos de interação com os usuários: formulários dúvidas, sugestões, críticas, avaliação dos serviços, avaliação do catálogo de serviços, fomulário de relato de impacto relacionado às manutenções
  • criar o painel de status dos serviços
    • criar o ambiente de homologação do Zabbix
    • criar os mapas de serviços para simulação
    • extrair as informações do Zabbix API para publicação Portal
    • definir o escopo do painel
  • criar os mecanismos de busca dos conteúdos
  • criar as visões e as relações dos conteúdos
  • criar a lista de serviços de A-Z
  • criar a estrutura de edições BiTI

CONTEÚDOS

  • produzir os textos técnicos e de apoio para os formulários, navegação, introduções, navegações, atalhos, dentre outros
  • produzir os textos de notícias, BiTI e comunicados
  • descrever as categorias, os serviços e os materiais de apoio
  • definir e produzir os conteúdos para o "eu quero ..."
  • criar os perfis de usuários - Alunos, Professores, Funcionários, Visitantes, Profissionais de TIC

TESTES, VALIDAÇÃO

  • executar os testes funcionais
  • executar os testes de usabilidade
  • validar os conteúdos
  • validar os links
  • refinar as estruturas de informação e da navegação
  • refinar a interface

HOMOLOGAÇÃO E IMPLANTAÇÃO

  • divulgar e validar com a comunidade do CCUEC
  • registrar e priorizar os erros encontrados e as sugestões recebidas
  • preparar o ambiente de produção clone do ambiente de homologação
  • mapear as URLs mais comuns que sofreram alteração
  • disponibilizar o novo Portal de forma ágil e com baixo impacto para o usuário
  • divulgar as principais mudanças
  • descrever os processos de publicação dos conteúdos: notícias, comunicados, serviços, entre outros

     

    Mapa Mental: pesquisa e organização de idéias

    Como ferramenta de apoio para registrar e organizar os trabalhos de pesquisa, levantamento de requisitos e desenvolvimento da arquitetura de informação do Portal, adotamos o MindMeister.com. Entretanto, seu uso essencial em todas as fases do projeto.

    O MindMeister.com é uma ferramenta na nuvem que nos permite documentar ideias e estruturá-las usando modelos hierárquicos. O Mapa Mental do Projeto foi criado e compartilhado com a equipe, facilitando a comunicação ao longo das etapas de trabalho. Os documentos com formatos específicos foram salvos na ferramenta Drive do Google Apps for Education Unicamp.

    Mapa Mental do Projeto Portal CCUEC

     

    Resumo das Fases do Projeto

    Nos parágrafos abaixo, descrevemos as etapas do projeto, que por ordem e importância, foram: avaliação do ambiente interno e externo, organização de informações e requisitos, arquitetura de informação, rascunhos de layout, interfaces, modelo de dados, estudo e criação das estruturas na ferramenta CMS, implementação, publicação de conteúdos, revisão, testes, homologação e implantação.

    Ainda na fase inicial, dois novos subprojetos foram criados: a revisão do Catálogo de Serviços e o artefato "Status dos Serviços". Esta estratégia foi necessária pois teríamos a participação direta ou indireta de mais colaboradores das áreas técnicas, da Direção e da área de atendimento. Os trabalhos correram em paralelo com as outras atividades do projeto.

    Mapa Mental - avaliação do público
    Visão das etapas de avaliação do público interno e externo

    Avaliação do ambiente interno e externo

    Com o objetivo de avaliar o antigo Portal frente à comunidade Unicamp utilizamos a ferramenta de questionário web LimeSurvey. Através dela aplicamos questões que abordavam aspectos importantes sobre o funcionamento e o conteúdo do antigo Portal. Como resultado, tivemos respostas de cerca de 300 usuários.

    O questionário abordava questões relacionadas ao projeto gráfico do desktop e dispositivos móveis, sobre a compreensão da linguagem, e também sobre a qualidade, clareza, objetividade e padrões empregados nos títulos, textos, links, vídeos e imagens. Outras questões mais técnicas também foram avaliadas pelos usuários, como a navegabilidade, facilidade em encontrar conteúdos e, por fim, o auxílio através de mecanismos de feedback.

    Um outro questionário contendo 6 questões, foi aplicado no formato de entrevista com Diretores e Técnicos do CCUEC e que tinha como objetivo obter avaliações e a visão da própria instituição sobre seu Portal. Eram questões relacionadas aos serviços de negócio de cada área técnica, os pontos positivos e negativos na visão de cada colaborador, indicação de serviços ausentes no Portal e serviços que necessitavam apresentar melhor conteúdo e comunicação. Solicitamos também que fossem descritos os problemas mais comuns reportados pelos usuários dos serviços de sua área e o que deveria ser trabalhado no novo projeto para melhoria do Portal. Comentários adicionais foram registrados.

    Foram extraídos dados significativos do Google Analytics sobre o comportamento e interação do usuário com o Portal. Hoje, a coleta de dados é feita sistematicamente para o domínio www.ccuec.unicamp.br o que nos permitiu ter uma rápida leitura sobre a situação atual. Identificamos os conteúdos mais acessados, os caminhos percorridos pelos usuários no Portal e o tempo de permanência nas páginas em geral. O resultado dessa análise foi bastante considerado para as atividades seguintes do projeto.

    Ainda com o objetivo de avaliar a interação do usuário com os serviços de negócios oferecidos pelo CCUEC, levantamos um conjunto de indicadores com a área de atendimento ao usuário SAU, sendo eles: quantidade de atendimentos por telefone, por e-mail, por chat e os atendimentos feitos presencialmente. Além do levantamento quantitativo, fizemos uma análise qualitativa sobre as dúvidas de usuários mais recorrentes, questões gerais e um resumo das críticas, elogios e sugestões enviadas através dos formulários do Portal.

    Mapa Mental - documentos do projeto
    Visão da organização dos documentos do projeto

    Pesquisa, mapa mental, requisitos, estruturas de informação

    O escopo do trabalho de pesquisa foi avaliar universidades do Brasil e do exterior, com o olhar direcionado para os serviços de TIC, oferecidos por seus centros ou núcleos dentro de cada estrutura organizacional da instituição. A maior parte da pesquisa foi concentrada em universidades americanas e europeias, locais onde detectamos uma melhor comunicação e organização dos conteúdo de serviços de TIC. Nesta linha, alguns bons exemplos também foram avaliados no Brasil e América Latina.

    Um fato constatado pela equipe durante as pesquisas, foi a existência de grande diversidade cultural sobre como os serviços de TIC são ofertados para seus usuários, principalmente nas universidades do exterior . Elas apresentavam uma variedade de formatos e segmentação de conteúdo por perfis de usuários. Foi realizado um longo trabalho de abstração e registro das avaliações.

    O importante nesta fase foi coletar o máximo de informações, além dos dados serviços - foco principal de um Portal de TI. Outros aspectos foram verificados durantes as visitas nos sites: o design gráfico, interfaces, mecanismos de interação, conteúdos, design de informação, arquitetura de informação e navegação. Questões mais técnicas relacionadas à infraestrutura e às ferramentas de publicação utilizadas nos sites também foram consideradas.

    Mapa Mental - estruturas de informação
    Estruturas de informação que deram origem à navegação e principais espaços

    Requisitos

    Com base nas pesquisas e avaliações obtidas, trabalhamos na organização e classificação de todas as informações e registramos no Mapa Mental. A partir deste momento, todo o material foi consolidado, estruturado e traduzido como requisitos para o projeto, os quais foram agrupados e disponibilizados dentro dos seguintes temas: "interface", "interação", "conteúdo" e "ferramenta CMS". Os requisitos são as diretrizes para a construção do Portal.

    Em paralelo, especificamos as estruturas de informação, resultado de muita pesquisa e troca de ideias durante as reuniões de brainstorms do projeto. As estruturas de informação são descrições organizadas sobre os principais assuntos que estão sendo tratados nas páginas do Portal, agrupados por afinidade mas sem a preocupação se serão ou não tratados no desenvolvimento do projeto. É o passo inicial para consolidarmos a arquitetura de informação definitiva do Portal. Conforme mais estruturas de informação forem sendo geradas e requisitos registrados, mais próximo ficaremos de uma organização ideal da informação. Com a arquitetura de informação bem formada aumenta-se a probabilidade de conseguirmos bons resultados nos trabalhos do design de informação e da navegabilidade das páginas do Portal.

    Segundo a Information Architecture Institute, definições que podemos dar para o termo "arquitetura da informação":

    1. é o design estrutural de ambientes compartilhados de informação;
    2. é a arte e ciência de organização e rotulação de sites web, intranet, comunidades online e software de apoio à encontrabilidade e usabilidade;
    3. é uma prática emergente focada em trazer princípios de design e arquitetura para o paisagismo digital.

    Ainda segundo a IAI o objetivo da arquitetura da informação é tornar eficaz a interação entre o usuário e a interface do qual ele esta interagindo.

    Visão de parte da Arquitetura de Informação do Portal
    Visão de parte da Arquitetura de Informação do Portal

    O trabalho de modelagem da arquitetura de informação tem grande influência nos resultados da construção de um Portal, por este motivo empregamos um tempo considerável na execução e na organização da informação, influenciando positivamente o trabalho nas fases seguintes. Ao final desta etapa, a navegação começou a criar forma com os mnemônicos dos menus sendo definidos, ainda que parcialmente, mas possibilitando aplicar um protótipo de sistema de navegação. 

    A arquitetura de informação nem sempre é definitiva e pode sofrer atualizações conforme as interfaces forem sendo publicadas e o sistema de navegação tornar-se disponível para experimentação. Esse conjunto em funcionamento através de protótipos de páginas permite que a percepção humana entenda melhor os conceitos e os agrupamentos das informações, que podem ser de alta coesão para alguns ou de baixa coesão para outros. Enfim, a solução não é única! Mas é importante afirmar que, além do trabalho de pesquisa e organização, a boa formação da AI é resultado direto da experiência e o entendimento de cada um da equipe.

    Questões como: "Docente" ou "Professor" ? "Eu quero ..." ou "Eu gostaria de ..." ? "Comunicados" ou "Informativos" ? "Serviços" ou "Catálogo de Serviços"?  ... O que deve ser destacado? Em qual ordem? Com qual conteúdo? ... O que o usuário irá procurar primeiro: ajuda ou a informação? Quais assuntos são mais relevantes? Porque "Politicas de TIC" se encontra na navegação principal? Devemos ter segmentação de conteúdo por perfis?; foram discutidas durante a fase de construção da AI.

    Com base nas metodologias acima citadas, organizamos os assuntos e a navegação do Portal, com isso esperamos ter atingido um bom nível de usabilidade e interação com os usuários.

    Os feedback de usuários registrados através dos formulários em diversas instâncias do Portal, aliados aos indicadores do Google Analytics e da área de atendimento SAU serão subsídios para que tenhamos, na sequência do projeto, um processo constante de revisão da arquitetura de informação.

    Rascunhos de layout, interfaces, modelo de dados

    Em paralelo aos trabalhos da arquitetura de informação, produzimos os rascunhos de layout. Os rascunhos foram especificados para a página principal e, na sequência, para as páginas dos demais assuntos tratados no Portal. Os rascunhos servem de base para a produção das interfaces definitivas.

    rascunho de layout de comunicados
    rascunho de layout  Comunicados

    Utilizamos ferramentas gráficas para gerar as imagens dos rascunhos. Elas tem como objetivo simular como seria a apresentação da página web, composta por alguns elementos de informação, um protótipo de navegação e conteúdos já com uma proposta inicial de organização.

    Realizamos reuniões de aprovação dos rascunhos para cada um dos assuntos. Naturalmente, a página principal do Portal foi o item que mais demandou sessões de aprovação e envolveu toda a equipe de projeto, dada sua importância.

    Não é imperativo que se empregue métricas reais e elementos visuais e de conteúdo definitivos durante a confecção dos rascunhos. No entanto, eles devem mostrar minimamente os elementos de informação com seus formatos e, se possível, a indicação dos elementos de interação com o usuário final, como por exemplo caixas de busca, campos de formulário, paginação, ordenação de itens, simulação de cores e formatação de textos.  Todo este contexto apresentado pelos rascunhos de layout, denominamos de design de informação

    O rascunho de layout é um documento que apoia os profissionais Designer Gráfico e Desenvolvedor Web na decisão sobre o que deve ser construído, no caso, a interface definitiva e as estruturas e modelo de dados para a ferramenta CMS, respectivamente. O documento rascunho facilita a comunicação entre os técnicos da equipe e o design de informação ali contido pode ser ajustado conforme o entendimento que os técnicos tem sobre os requisitos demandados. Com base nas propostas dos rascunhos versus design de informação, passamos para a fase de construção do modelo de dados do Portal.

    Hoje, é uma tendência que Portais dos mais variados gêneros utilizem artifícios para relacionar conteúdos de mesmos tipo ou entre tipos distintos, quando existe uma terminologia em comum entre eles. O termo técnico comumente adotado nas ferramentas de publicação dinâmica CMS para este artifício é chamado de "Entity Reference". Esta referência pode se dar por taxonomia (taxonomy) ou por relação entre campos dos tipos de conteúdos.

    Modelagem de dados
    Modelagem de dados

    Com a taxonomia (palavras-chave) foi possível criar um vocabulário de termos mais frequentes com relação a determinado assunto e com eles relacionarmos notícias, comunicados, serviços, tutoriais, entre outros.

    Notícias se relacionam entre elas e desta forma os usuários tem a facilidade de consultar em uma única página mais de uma notícia sobre o mesmo tema. O mesmo acontece com os comunicados onde relacionamos manutenções, ocorrências e informativos.

    Outra forma de utilização da taxonomia é estipular um conjunto de valores para campos de um determinado tipo de conteúdo, por exemplo "assunto do comunicado", e que são preenchidos no momento da publicação das páginas.

    Outro artifício adotado para relacionar conteúdos é o uso de campos chaves para interligar tipos de conteúdos diferentes,  normalmente definido como "referência de conteúdo". Utilizamos este artifício com o intuito de relacionar os serviços disponíveis no Catálogo de Serviços com seus materiais de apoio e com as páginas do "eu quero ..." de mesmo assunto. Futuramente, este recurso poderá ser ampliado para relacionarmos mais informações a determinado tipo de conteúdo.

    modelo de dados desenvolvido para o Portal contém, via de regra, a descrição conceitual, lógica e física das entidades de conteúdo identificadas nas fases anteriores. Agregamos ainda ao modelo a característica entidade-relacionamento e o dicionário de dados, necessários para a construção das estruturas de conteúdos na ferramenta CMS.  

    interface definitiva para comunicados
    Interface definitiva para Comunicados

     

    A interface definitiva da página principal surge neste momento. Ela é a base para o desenvolvimento de outras interfaces, pois muitos dos elementos visuais irão se repetir. Na sequência, priorizamos  as interfaces do Catálogo de Serviços, Comunicados, Painel de Status, Notícias e demais assuntos.

    A ideia é que a interface definitiva renderize, no mínimo, 95% das informações reais que serão apresentadas para o usuário final e, deste modo, somente após este nível de maturação e consenso entre os técnicos, inicia-se a etapa de construção da página na ferramenta CMS. Esse processo é adotado para todas as interfaces que serão construídas. O objetivo é diminuir o  retrabalho nesta fase, pois poderá comprometer o cronograma de implementação das etapas subsequentes. Toda a atenção e tempo foram bem empregados nesta fase e essenciais para prosseguirmos com o projeto sem muitas refeituras.

    Evidentemente, havia grande expectativa da Direção e da equipe sobre a nova interface da página principal, um marco do projeto. Portanto, deveria atender a expectativa de muitos. O primeiro encontro com a página principal traduz a ideia que estamos propondo para o Portal de informações e serviços de TIC. 

     

    Mapa Mental - etapas do projeto
    Visão das etapas do projeto

    Revisão do Catálogo de Serviços

    O subprojeto de revisão do catálogo de serviços do CCUEC teve como escopo melhorar o agrupamento dos serviços, em formato de categorias, adequar os nomes das categorias e dos serviços e proceder uma revisão geral nos conteúdos dos serviços.

    Foram feitas pesquisas, foi proposto nova arquitetura de informação, elaborado novas descrições para as categorias, novos nomes de serviços e a inclusão de novos serviços e textos de apoio. Estas tarefas foram realizadas com o objetivo de melhor orientar o usuário final na procura e facilitar entendimento dos serviços ofertados pelo CCUEC. 

    A revisão dos conteúdos e o desenvolvimento de um novo formato de apresentação dos serviços foi concluído em parte. Os serviços contem um conjunto de informações técnicas e as condições dos negócios que seguem um padrão de governança ITIL,  adotados em processos internos do CCUEC. As condições de negócio dos serviços devem estar publicadas no Catálogo de Serviços.

    Após a fase de implantação do novo Portal, planejaremos um estudo para avaliar outros formatos de publicação de conteúdo para os serviços de TIC que, ao mesmo tempo, privilegiem a linguagem, a usabilidade e as condições de negócio no padrão ITIL. O objetivo é apresentar uma linguagem de fácil entendimento e com as condições dos serviços de negócio presentes para os mais variados perfis de usuários da Unicamp. É uma tarefa complexa!

    Painel de Status dos Serviços
    Painel exibe o status dos principais serviços CCUEC

    Artefato "Status dos Serviços".

    O trabalho de construção do artefato "Status dos Serviços" envolveu várias etapas, assim descritas: definição do escopo, criação de um ambiente de laboratório, modelo de coleta de dados de monitoramento, customização da ferramenta de monitoramento, definição dos mapas de serviços de negócio, construção da lógica de tratamento dos dados e automatização da publicação na interface do Portal.

    A proposta deste artefato é informar aos usuários a situação real dos principais serviços oferecidos à comunidade, utilizando uma comunicação simples na forma de cores (verde, laranja e vermelho)  e indicativos textuais ("serviço em funcionamento", "serviço degradado", "serviço interrompido").

    A atualização das informações segue um processo que pode ser entendido da seguinte maneira: o tempo de checagem por parte da ferramenta de monitoramento, a frequência de execução da API que coleta os dados checados e gera a interface da página principal e tempo de refresh do próprio painel. O tempo de renovação das informações em função dos processos sendo executados podem levar até cinco minutos, dependendo do serviço e o momento em que o usuário acessou a página do Portal. 

    O painel na interface da página do Portal futuramente deverá crescer, disponibilizando informações de mais serviços.

    Estudo e criação das estruturas na ferramenta  CMS

    A ferramenta que suporta o funcionamento do Portal CCUEC é o software livre Drupal (www.drupal.org). Trata-se de um software de gerenciamento de conteúdo na web. No mercado existem outros softwares similares ao Drupal, com mais ou menos o mesmo conjunto de funcionalidades, mas de características e níveis de complexidade diferentes. A escolha de qual software CMS utilizaríamos não foi pautada nas ideias iniciais no plano de projeto, visto que o foco estava relacionado à melhoria da linguagem, da organização e do conteúdo em geral. No entanto, foi considerada a experiência da equipe técnica envolvida no projeto, em função de outros trabalhos desenvolvidos para o próprio Portal CCUEC e o Portal Unicamp. O Portal Unicamp utiliza o software Drupal desde 2008.

    layout do template
    layout do template

    Um Portal com conteúdos bem escritos e organizados, com mecanismos de ajuda e avaliação para o usuário final e com todo aparato para simplificar o trabalho de busca e navegabilidade ao longo das páginas, exige um bom suporte e uma boa construção.

    Optamos em manter a experiência na ferramenta Drupal e o desafio de explorar mais seus recursos, disponíveis a partir da versão 8. A curva de aprendizado na ferramenta, por vezes, pode ser maior em comparação com os softwares WordPress e Joomla - com alta adoção entre os desenvolvedores Web - mas, na avaliação da equipe, entrega um conjunto maior de recursos, o que diversifica as possibilidades de implementação, além de dispor de boa usabilidade para seus utilizadores.

    Basicamente, uma ferramenta CMS permite que rapidamente os conteúdos (textos, links e imagens) sejam atualizados dentro de estruturas previamente criadas e instanciadas nos contextos dos assuntos tratados no Portal. São estas estruturas: tipos de conteúdos (content types), visões de páginas e de blocos (views), blocos de informação (block layout), menus de navegação (menus), formulários (webforms), termos (taxonomy), entre outros.

    Todas as estruturas são fornecidas tendo como base um Template pré-configurado que formata um layout inicial para o site. O template que foi instalado e configurado foi o PixtureReloaded, largamente utilizado pela comunidade de desenvolvedores. Nele fizemos as customizações e construções necessárias para dar vida à nova interface do Portal.

    Para um mesmo conteúdo podemos oferecer visões diferenciadas de apresentação que, em conjunto com as construções de estilos CSS (Cascading Style Sheets), fornecem flexibilidade de implementação para as páginas.

    As estruturas do CMS foram criadas e customizadas em função dos pré-requisitos, das interfaces e os modelos de dados que foram desenvolvidos nas fases precedentes.

     

    Resumos das fontes e estilos 

    As fontes de textos e ícones empregados nas interfaces das páginas do Portal CCUEC basicamente foram utilizados de duas fontes: o Google e FortAwesome. Para as fontes de textos utilizamos a família "Raleway" e suas variações.

    https://fonts.googleapis.com/css?family=Raleway:300,400,500,600

    A B C D E F G H I J K L M N
    O P Q R S T U V X Y W Z 

    a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v x y w z

    1 2 3 4 5 6 7 8 9 0 

     

    Font Awesome - http://fortawesome.github.io

        ... 

     

     

    Implementações Futuras
    • INTERFACE
      • APPS - desenvolver novas ideias de utilização dos conteúdos do Portal CCUEC
      • MOBILE - projetar interface exclusiva com melhor experiência do usuário; estudo de conteúdos prioritários para adotar nesta interface e formato adequado
    • CONTEÚDO
      • criar versão em inglês para o Portal
      • painel do status dos serviços: ampliar dados de alertas de serviços/sistemas e vincular aos processos de tratamento de incidentes
      • painel do status dos serviços: coletar dados de performance do Zabbix para mais serviços, para que seja possível exibir status de atenção "amarelo" quando a carga da máquina ou do servidor Web está congestionada
      • comunicados: publicação de conteúdos de ocorrências e relacioná-los aos itens alertados no painel de status dos serviços
      • catálogo dos serviços: melhorar formato e revisar oferta de serviços; agregar novos serviços
      • aprimorar conteúdos direcionados aos perfis de usuários (comunidades de TI, administradores, novos na universidade, parcerias, fornecedores,entre outros)
      • aumentar a produção de tutoriais e de vídeos
      • Revisão do BiTI
      • melhorar padrão de conteúdo para termos técnicos
      • Perfis - aprimorar conteúdos direcionados aos perfis de usuários Alunos, Professores/Funcionários, Visitantes e Profissionais de TIC; avaliar novos perfis como “Administradores de rede”, “novos na universidade”, entre outros;
    • PROCESSOS/INTERAÇÃO
      • Comunicar mudanças no Portal de forma sistemática, mantendo usuários a par de novas implementações ou mudanças significativas da estrutura de navegação/conteúdo
      • melhorar processo de atualização/publicação de conteúdos para os Editores de conteúdo (áreas técnicas), Revisores
      • aumentar o número e melhorar a experiência com os formulários de solicitação, feedback e dúvidas
      • relacionar comunicados e status de serviços com os processos de tratamento de incidentes
    • ESTRUTURAS DE INFORMAÇÃO
      • prospectar base de conhecimento colaborativa para profissionais de TI
      • relacionar mais conteúdos (por taxonomia, por referências de conteúdo)
      • criar clipping de notícias